Plantas Sagradas ou Ervas de Poder

O que são plantas sagradas ou ervas de poder?

plantas sagradas ou ervas de poder xamanismo

As plantas sagradas ou ervas de poder são consideradas uma parte essencial do Xamanismo e de muitas das religiões antigas. Desde a antiguidade, têm sido usadas como “tecnologia do sagrado”, são substâncias vegetais ou derivados capazes de produzir grandes mudanças em nosso corpo. Eles geralmente agem no sistema nervoso central (SNC) causando alterações específicas em suas funções. Por isso, são conhecidas como substâncias psicoativas. De acordo com a ação que exercem sobre nós, são considerados “remédios sagrados”, sejam para o corpo, a alma ou o espírito. Algumas dessas substâncias psicoativas também são encontradas em alguns animais, e ambas podem ser sintetizadas em laboratórios químicos.

Para que servem as plantas sagradas ou ervas de poder?

É precisamente o caráter sagrado atribuído a esse tipo de plantas que as torna objeto de reverência e adoração, ao mesmo tempo em que lhe confere um profundo significado simbólico. Em muitos casos, eles são usados ​​para recuperar a saúde, física ou psíquica, recebem orientação antes de uma decisão importante, se conectam com a parte mais profunda de si mesmo e em quase todas as culturas, é praticamente usado em todos os ritos de iniciação. O uso ritual dessas plantas permite o autoconhecimento e a integração do indivíduo com sua comunidade, sua cultura e seu ambiente.

Em quase todas as tradições ancestrais de qualquer continente, o fenômeno do Xamanismo ocorreu e com ele o uso de plantas sagradas. Apesar das diferentes línguas e origens, existem múltiplas coincidências dadas pela estreita relação cultura-natureza, na qual as plantas sagradas ocupam um lugar central.

Como as plantas medicinais são diferentes das plantas sagradas ou ervas de poder?

Plantas medicinais são todas aquelas que têm propriedades curativas – na verdade, praticamente todas as plantas as possuem. Por outro lado, as plantas sagradas, embora elas também sejam medicinais, distinguem-se por terem a propriedade de serem psicoativas, isto é, permitindo estados ampliados de consciência que permitem que os Xamãs – e pacientes – acesse os outros planos diferentes da realidade nos quais e/ou a partir dos quais a cura é realizada.

É impossível separar as visões de mundo originais da espiritualidade. O mundo indígena é essencialmente espiritual, inclusive nessa perspectiva a medicina ancestral, cujo conceito central é que a doença é o produto de um desequilíbrio espiritual da pessoa e cuja restauração, ou seja, a cura, é alcançada retornando a pessoa para o seu equilíbrio.

Saiba mais sobre nosso curso online de Terapias Xamânicas

Que outros nomes que as plantas sagradas ou ervas de poder recebem?

Essas plantas também são conhecidas como: plantas-mestre, plantas de poder, plantas dos deuses, usinas de energia, plantas mágicas, plantas luminosas, plantas visionárias, plantas leves, plantas da consciência, plantas alucinógenas, plantas enteogênicas, plantas psicodélicas ou psicodélicas, plantas psicotrópicas, etc.

Atualmente na literatura científica, a palavra, é usada com maior sucesso e consenso entheogen, proposta pelos pesquisadores Carl AR Ruck, Jeremy Bigwood, Danny Staples, Jonatthan Ott e R. Gordon Wasson. O termo enteógeno é muito mais apropriado para se referir a substâncias cuja ingestão causa uma alteração da consciência comum, causando estados de transe “místicos” ou estáticos. Em grego, entheos significa literalmente “deus interior” e é uma expressão usada para descrever o estado em que o sujeito está quando ele tem uma visão divina ou se sente possuído por uma divindade. A raiz gene– significa a ação de passar de um estado de consciência à outro: o significado de enteógeno significa então o “que nos aproxima de nosso deus interior” ou “que mostra nosso deus interior”. Assim, podemos falar de enteógenos e, como adjetivo, de plantas ou substâncias enteogênicas ou enteógenas.

Outros termos amplamente utilizados são: psicotrópico (do grega psique: ‘mente’ e tropeína: ‘tornar’), ou psicodélico (que revela a mente). São agentes químicos (naturais ou sintéticos) que atuam no sistema nervoso central, o que resulta em mudanças temporárias na cognição, humor, estado de consciência e comportamento. Essas substâncias exercem sua ação modificando certos processos bioquímicos ou fisiológicos do cérebro. Nesse sentido, a maioria dos psicotrópicos ou psicodélicos age alterando o processo de neurotransmissão estimulando ou inibindo a atividade.

Saiba mais sobre nosso curso online de Shaman Self Healing

Quem usa as plantas sagradas?

Ao longo da história, esses tipos de plantas têm sido utilizados como um meio de conhecimento e conexão com o divino por muitas culturas e civilizações antigas, desde os astecas, olmecas, maias e incas até minóicos, persas e gregos, entre muitos outros. . Hoje, no mundo Xamânico, eles ainda são usados ​​por muitas culturas indígenas em todo o planeta.

Em algumas tradições, o uso de plantas sagradas é reservado àqueles que cumprem o papel sacerdotal e, em certas ocasiões especiais, seu uso é compartilhado com toda a comunidade. Outras vezes, é o apenas o curandeiro, “o homem da cura”, que usa essas plantas. Geralmente, o Xamã cumpre as duas funções: sacerdote e curandeiro.

Diferentes tipos de plantas sagradas

As plantas sagrada contêm substâncias que modificam temporariamente a bioquímica, especialmente a do cérebro e do sistema nervoso, para que possam influenciar nossa psique, modificando a maneira como pensamos e sentimos ou alteramos as percepções sensoriais.

Estas são algumas das mais conhecidas:

Ayahuasca

peiote xamanismo Plantas Sagradas ou ervas de poder

Peiote

cogumelos_sagrados_plantas_sagradas_ou_ervas_de_poder

Cogumelos Sagrados

cactus san pedro xamanismo plantas sagradas ou ervas de poder

Cactus São Pedro

amanita muscaria xamanismo plantas sagradas ou ervas de poder

Amanita muscaria

ibogaina

Ibogaína

salvia divinorum plantas sagradas

Salvia divinorum

jurema preta plantas sagradas ou ervas de poder

Jurema Preta

cannabis erva de poder

Cannabis

Por que elas também são consideradas plantas-mestre?

Essas plantas nos fornecem ensinamentos e idéias sobre nós mesmos, além de nos ensinar como viver em harmonia com o meio ambiente. Eles trabalham sutilmente através de intuições, visões e sonhos, desenterrando memórias profundas, ativando emoções, confrontando-nos com nossos medos e limitações, podendo até intensificar a dor física e depois curá-los permanentemente.

Essas plantas conectam o ser humano com a consciência universal, com o que ele realmente é, com a verdade e a infinita sabedoria que todos carregamos por dentro e que, devido à nossa educação, estilo de vida e excessivo diálogo mental, confinamos da maneira mais profunda no nosso inconsciente.

Saiba mais sobre nosso curso online de Cartas Alquímicas – Animais de Poder

Como as plantas sagradas são usadas?

Geralmente plantas sagradas são usadas em contextos rituais e cerimoniais, sob a mão de um especialista e em um contexto muito específico. Esse especialista pode ser um guia, padre, curandeiro, psicopompo ou Xamã. Atualmente, existem também guias treinados com os nativos e provenientes de medicina, antropologia, psicologia e etc. Há também o oposto: Xamãs e curandeiros que estudam medicina ou psicologia como a entendemos no Ocidente, para expandir seus conhecimentos e aplicar plantas sagradas de maneira mais eficaz.

Todos podem tomar plantas sagradas?

Como todas as coisas, as plantas não são boas nem ruins, sempre depende de como uma pessoa se relaciona com esses tipos de plantas: conhecimento e respeito, como consumi-las ou com que finalidade. Mesmo assim, obviamente nem todos estão preparados para viver essas experiências com plantas sagradas. Existem pessoas que, devido ao seu modo de pensar, estilo de vida, dieta, estado de espírito ou bioquímica do cérebro, podem tomar essas plantas e ser muito prejudicial a elas. O mais aconselhável é procurar o especialista que lida com eles e perguntar se estamos qualificados para aceitá-los.

As plantas sagradas são perigosas?

Tanto a atitude correta quanto a preparação e o contexto ao usar as plantas sagradas terão ótimos resultados. Esses fatores são conhecidos como set and setting. Caso contrário, se usadas incorretamente, serão classificadas como substâncias tóxicas, amaldiçoadas, proibidas e até diabólicas. Também é necessário revisar e até descartar nomes pejorativos como medicamentos alucinógenos, amplamente utilizados profissionalmente na mídia. Essa definição carrega uma conotação de estado patológico (doença ou loucura) e que, ao mesmo tempo, associa essas plantas à idéia de “substâncias perigosas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *